Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

A Alelo tenta se caracterizar pelo inconformismo positivo

Isso quer dizer que não basta cumprir 100% das metas - o ideal é ir além

Por Rosana Tanus Atualizado em 5 dez 2020, 20h49 - Publicado em 21 mar 2013, 10h44

Barueri (SP) – Empresa brasileira de administração de cartões-benefício, como vales alimentação e refeição e vales transporte e combustível, a Alelo já somou quatro participações neste Guia com outro nome — CBSS Administração dos Cartões Visa Vale. Se a marca mudou, a gestão que coloca as pessoas em primeiro lugar se mantém sólida.

Focada em desenvolver sua própria liderança a partir da identificação de talentos internos, a Alelo pode dizer, com orgulho, que 80% de seus líderes foram formados internamente. Ou seja, para cada 10 posições de coordenador — e acima desse nível —, 8 profissionais vieram da própria companhia.

Para fomentar esse crescimento, a empresa investe em treinamentos nas duas plataformas — presencial e virtual. Essa valorização se reflete no turnover espontâneo, que fica em torno de 10% ao ano, um número relativamente baixo, levando-se em conta que a Alelo tem como acionistas o Banco Bradesco e o Banco do Brasil, o que torna acirrada a disputa por crescimento no mercado devido à concorrência com outras instituições financeiras.

O cuidado com a gestão de pessoas tem um motivo — dar suporte para que mais de 100% das metas da companhia sejam atingidas. “Nós vivenciamos o ‘inconformismo positivo’. Nenhum de nós quer entregar como resultado o que foi estipulado — queremos ir além”, diz um funcionário. Por isso a relação entre chefes e subordinados é de grande proximidade e pouca hierarquia.

Os profissionais são unânimes em afirmar que os gestores orientam bem, reveem as metas quando necessário e que, se uma pessoa errar, jamais é apontada como vilã — o erro é levado à diretoria como sendo da equipe toda. Pelo dinamismo do negócio, ninguém ali pode dizer que tem uma rotina, mas todos podem dizer que estão cansados.

O excesso de trabalho anda incomodando muita gente. De olho nesse problema, a área de recursos humanos e a liderança têm procurado comemorar cada resultado e distribuído ingressos para cinema na tentativa de distensionar o pessoal.

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
Meritocracia na promoção das pessoas, autonomia para executar as tarefas e aprendizado contínuo. O pacote de benefícios também é muito elogiado. A distribuição dos lucros poderia ser mais agressiva, segundo os funcionários, que ainda pedem carro para o nível comercial e uma sala de descompressão.
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue no caminho para se tornar uma referência. Assine VC RH e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da VOCÊ RH! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Receba todo bimestre a VOCÊ RH impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VOCÊ RH, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

App VOCÊ RH para celular e tablet, atualizado mensalmente

a partir de R$ 12,90/mês