Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Para ser mais amada pelos jovens, esta empresa premiada soube se adaptar

Integração sem perder a competitividade, a Intelbras ficou entre as 45 Melhores Empresas para Começar a Carreira

Por Anderson Hartmann, da Você S/A Atualizado em 5 dez 2020, 20h48 - Publicado em 5 mar 2019, 06h00

São José (SC) – A fim de dialogar com os funcionários de até 26 anos de idade, a Intelbras adaptou sua linguagem: passou a utilizar novos canais e um tom mais informal de comunicação.

A companhia já se sentia bem preparada para receber as gerações Y e Z — com gestão participativa, por exemplo —, mas segue realizando mudanças para melhor integrar os profissionais jovens com os mais experientes.

Em 2018, ela ficou entre as 45 Melhores Empresas para Começar a Carreira, da Você S/A. As inscrições para a edição 2019 já estão abertas, veja como participar aqui.

Para manter a competitividade, a empresa foca aumento da produtividade, revisão de processos, automatização de sistemas e alocação eficiente de pessoal.

Gestores estão sendo treinados para entender melhor o senso de urgência e a inquietação dos mais novos.

“Criamos estratégias junto ao RH para maior permanência de jovens na empresa. Queremos deixar mais clara nossa proposta de valor”, afirma um gestor. Outro diferencial da Intelbras é a cultura de gestão humanizada, que, segundo um jovem funcionário, “faz a diferença”.

Continua após a publicidade

Uma das portas de entrada para quem inicia a carreira é o programa de estágios. “A maioria é contratada”, assegura uma gestora. Atualmente, a empresa possui alguns convênios que permitem a jovens de outros países realizar estágio na Intelbras, o que dá oportunidade de troca de conhecimentos. intelbras.com.br


PONTOS POSITIVOS

A Intelbras possui academia, biblioteca, farmácia, posto bancário e laboratório para exames de análises clínicas. Além disso, é permitido que familiares de funcionários também trabalhem na companhia.


PONTOS A MELHORAR

a Comunicação entre as áreas poderia ser melhorada. Funcionários reivindicam maior flexibilidade de horário e disseminação da prática de home office, além de redução da burocracia nos processos internos.

Continua após a publicidade
Publicidade