Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Futuro do trabalho: responsabilidade das empresas ou das universidades?

A colunista Vicky Bloch fala sobre a responsabilidade das empresas e instituições de ensino no desenvolvimento de profissionais

Por Vicky Bloch, colunista da VOCÊ RH Atualizado em 15 dez 2020, 08h49 - Publicado em 7 jun 2020, 06h00

No ano passado, escrevi nesta coluna sobre a necessidade de investirmos nas profissões e capacidades do futuro. Questionei o fato de empresas e universidades não estarem efetivamente contribuindo para que os profissionais e estudantes comecem a desenvolver as competências e as habilidades que serão necessárias para enfrentar os desafios — ainda desconhecidos, é verdade — da próxima década. Muito se discute sobre esse tema, mas pouco se faz.

Quando falo sobre desenvolvimento de profissionais e estudantes, não me refiro apenas aos poucos privilegiados que têm acesso às melhores universidades do país ou do exterior e aos que conseguem trabalhar em multinacionais ou startups inovadoras. Falo da média, da base, do Brasil para o qual quase ninguém olha. Quantos desses indivíduos estão, de fato, sendo preparados para o mercado?

  • Relacionadas

Os investimentos na formação continuam sendo focados em habilidades que atendem a demandas atuais, jogando para as próximas gerações a responsabilidade de se desenvolverem para a transformação gigante que está por vir.

Já vivemos as consequências mais graves da falta de investimento em pessoas dentro do ambiente empresarial: o desemprego e a informalidade. Milhões de pessoas estão nas ruas, muitas delas obsoletas por falta de oportunidade de desenvolvimento, não conseguem se recolocar na profissão e se rendem ao emprego informal — tentando se sustentar como motorista de aplicativo ou exercendo outros tipos de subemprego sem nenhum benefício, vínculo empregatício ou capacitação.

Uma pesquisa da consultoria ManpowerGroup, realizada em 2019 e divulgada recentemente no Fórum Econômico Mundial, mostra que 52% das empresas brasileiras, em especial as médias, têm dificuldade para preencher vagas. Esse índice é 18 pontos percentuais superior ao do ano anterior. Entre as carreiras com maior carência estão as profissões de ofício (eletricistas, soldadores e mecânicos); contabilidade e finanças; administração de escritório; vendas e marketing; e tecnologia da informação.

Não seria justo, obviamente, jogar nas costas das organizações privadas toda a responsabilidade sobre os problemas de educação e formação no país. Mas elas têm, sim, uma grande responsabilidade social a cumprir — em especial nos níveis operacionais e no chão de fábrica, onde o termo “autodesenvolvimento” nem sempre faz sentido. No fundo, se olhamos para a história do Brasil, esse fenômeno não é novidade: a média dos empresários sempre faz o que lhes interessa para a geração de resultados no curto prazo.

Cada instituição tem a obrigação de dar ferramentas para que seus profissionais possam se atualizar e se preparar para o futuro do trabalho, dentro ou fora de suas asas corporativas. As empresas precisam criar seus filhos para o mundo.

Foto: Leandro Fonseca VOCÊ RH/VOCÊ RH

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de VOCÊ S/A? Clique aqui e assine VOCÊ S/A .

Gosta da VOCÊ RH? É só clicar aqui para ser nosso assinante.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue no caminho para se tornar uma referência. Assine VC RH e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da VOCÊ RH! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Receba todo bimestre a VOCÊ RH impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VOCÊ RH, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)