Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Isis Borge Diretora da divisão de recrutamento Engenharia, Supply Chain, Marketing e Vendas da Talenses

Entrevistas de emprego por vídeo: 12 pontos observados pelos recrutadores

As entrevistas por vídeo se tornaram frequentes durante a pandemia e devem ser uma tendência para o futuro. Entenda no que os recrutadores prestam atenção

Por Isis Borge, colunista de VOCÊ RH 11 Maio 2021, 16h15

Dia desses, uma leitora da VOCÊ RH perguntou quais são os pontos que os recrutadores observam em uma entrevista on-line. Como, daqui para frente, a tendência é que todo o processo seletivo ou parte dele seja virtual, fiquei imaginando que essa pode estar sendo a dúvida de outras pessoas também. Por isso, resolvi abordar o tema aqui no blog.

De forma geral, as entrevistas on-line e presenciais exigem os mesmos cuidados. Considerando o novo momento que estamos vivendo, eu destaco os principais:

1. Atenção com a tecnologia

É importante prestar atenção à qualidade da conexão, ao funcionamento de câmera e microfone e a sua habilidade com a plataforma que será utilizada. Se a conexão cair ou ficar instável, o entendimento do todo do bate-papo pode ficar comprometido.

2. Cenário atrás do entrevistado

Prefira posicionar-se de costas para algum lugar de agradável visualização. Dê preferência para algum ambiente organizado, uma estante com livros ou mesmo uma parede neutra. Os fundos de tela artificiais dos aplicativos também podem ser uma alternativa. Mas, nesses casos, preste atenção à visualização da sua imagem. Às vezes, esse recurso compromete a imagem do entrevistado, cortando partes do corpo da pessoa.

3. Pontualidade

Tanto em uma entrevista presencial quanto on-line é esperado pontualidade de todos os participantes, seja recrutador ou recrutado. É claro que imprevistos podem acontecer. Mas, nesses casos, é importante avisar sobre o atraso por mensagem de texto ou um breve e-mail em cima do convite pedindo alguns minutos adicionais.

4. Traje

Escolha uma vestimenta adequada que te gere sensação de segurança. Nesse período de entrevistas on-line, os recrutadores têm aceitado um traje mais descontraído. Mas estar bem vestido – não só da cintura para cima – vai te dar uma segurança maior durante o bate-papo. Aqui, deve prevalecer o bom senso. Não é preciso estar de terno e gravata ou com um vestido social. Mas, talvez, uma camisa pode transmitir uma imagem positiva se o ambiente da empresa pleiteada for um ambiente mais formal. Vale prestar atenção também para que o cabelo esteja arrumado e, no caso das mulheres, uma maquiagem leve também pode ser de bom tom.

5. Tranquilidade

É natural que o candidato fique nervoso em uma entrevista. Muitas vezes, isso acontece justamente por ele querer muito a vaga. Mas o nervosismo pode atrapalhar no sentido de a pessoa não conseguir expressar toda a sua experiência de maneira adequada. Outras pessoas ficam tensas pelo fato de a entrevista estar sendo realizada por vídeo. Acredito que as seleções on-line devem continuar mesmo quando a pandemia terminar. Então, para vencer essa barreira, sugiro treinar em videoconferências com amigos ou familiares. Quanto mais à vontade você ficar, melhor será a sua capacidade de elaborar as respostas.

6. Preparo

Na entrevista presencial ou virtual, é fundamental saber contar a própria trajetória de forma lógica e fluida, com fatos e dados, além da motivação para disputar a vaga. É importante, ainda, ter estudado o máximo possível sobre a empresa, a liderança e o mercado de atuação. Uma entrevista de emprego é o momento para encantar e ganhar a atenção do entrevistador.

Um exemplo interessante dessas últimas semanas: um candidato a uma vaga de gerente geral de uma grande empresa se preparou a ponto de ler a tese de gestão de pessoas que o presidente daquela organização havia escrito e publicado algum tempo atrás. Ele não só soube falar do seu estilo de gestão na entrevista como conseguiu trazer pontos interessantes do que ele observou dessa tese, além de relatar o que coincidia ou não com a forma dele atuar no dia a dia. Além disso, ele se preparou de forma ainda mais profunda, estudando muito bem a empresa, os clientes e os mercados que poderiam ser conquistados. Não é difícil supor que ele foi contratado nesse processo, que foi todo por vídeo. Semanalmente, aqui no blog, escrevo textos para ajudar na preparação de um processo seletivo. Tendo um tempo, dê uma olhada nos conteúdos.

Continua após a publicidade

7. A fala

Aqui, refiro-me a um contexto bem geral. É importante que o som esteja audível e a dicção seja boa. Procure se expressar com clareza e esteja preparado para repetir trechos e falar mais devagar, se for preciso, pois problemas com a conexão podem acontecer. Às vezes, pode acontecer de o entrevistador receber o som da sua fala com atraso por causa da rede. A qualidade do microfone também pode interferir na compreensão do que está sendo dito.

8. Energia pessoal

O vídeo evidencia ainda mais esse ponto tão almejado por muitas empresas: a energia do candidato. É comum recebermos feedbacks negativos de empresas falando que o candidato apresentou “baixa energia” na entrevista. E energia é algo subjetivo de mensurar, se a pessoa não estiver bem naquele dia pode perder pontos nesse aspecto. Eu percebo que a maior parte dos recrutadores fazem a leitura da energia do candidato através do tom de voz, do entusiasmo e da motivação durante o discurso, alguns recrutadores também irão avaliar as evidências dos fatos relatados na entrevista.

Nesse sentido, aqui vai uma dica que pode funcionar: minutos antes da entrevista, faça algo que você goste muito. Pode ser ouvir e cantar a sua música preferida, comer um doce, fazer uma breve meditação ou qualquer outra coisa que te deixe bem e seguro. Encare esse momento pré-entrevista como a concentração que os jogadores fazem antes da partida de futebol. Quem já entra na entrevista com uma postura de derrota tem menos chance de encantar os entrevistadores.

9. Capacidade de escuta

Ouça com atenção tudo o que os demais participantes da entrevista estiverem dizendo. É fácil dispersar a atenção nas entrevistas por vídeo, principalmente se você mantiver outras páginas da internet abertas ou se, durante o bate-papo, receber algum alerta de e-mail ou de mensagem instantânea. Mantenha-se longe dessas distrações para garantir que dará total atenção aos interlocutores que estiverem do outro lado da tela. Mantenha-se focado e atento para responder exatamente o que foi perguntado. Se não entender algo por causa da conexão, peça para que a pergunta seja repetida. O entrevistador vai entender. O que você não pode é arriscar uma resposta sem ter entendido a pergunta.

10. Objetividade

Muitas vezes, o tempo reservado para as entrevistas é definido sem uma folga entre uma reunião e outra. Então, é importantíssimo se atentar ao tempo que o recrutador reservou para a conversa com você. Seja claro e objetivo nos discursos. Assim, sobrará tempo suficiente para responder as perguntas ou ouvir uma explicação mais aprofundada da vaga e da empresa. Se você ocupar todo o tempo falando, pode não dar a oportunidade de os entrevistadores explorarem todos os pontos desejados e, consequentemente, você perderá a oportunidade de encantar o recrutador e convencê-lo de que é a pessoa certa para a vaga.

11. Comunicação não verbal

Você já assistiu aquele seriado “Lie to me” (em português: “Engane-me se puder”) ou já leu livros como “O corpo fala: a linguagem silenciosa da comunicação não verbal”? Ambos falam muito sobre linguagens não-verbais que acabam entregando nossos reais pensamentos. Trouxe essas indicações porque os recrutadores passam muitas horas da semana em entrevistas, exercitando sua habilidade de ler as pessoas. Com o passar dos anos, vão se tornando verdadeiros mestres em perceber sinais não verbais. Por exemplo, situações como morder os lábios, olhar para baixo, colocar a mão na boca ou coçar a sobrancelha enquanto fala são sinais, muitas vezes, imperceptíveis para muitas pessoas.

Mas que podem dizer muito para outras. Para deixar que seu corpo te contradiga, procure falar sempre a verdade. Fale sempre olhando para câmera e esteja confortável no local da entrevista para não ficar se movendo de uma forma inquieta. Se estiver em uma cadeira giratória, segure a tentação de ficar se movimentando para os lados. Não fique batendo com os pés no chão para não passar a sensação de tremor durante a entrevista. São sinais pequenos que podem comprometer o foco dos entrevistadores no que está sendo dito.

12. Autenticidade

Seja você mesmo. Pode parecer um conselho óbvio. Mas muitas pessoas tentam vender uma imagem diferente do que eles são e passam uma sensação estranha para quem está entrevistando, um quê de falta de autenticidade. Cada empresa vai ter um tipo de cultura e perfil desejado. Sendo você mesmo, as chances de contratação em uma empresa que faça sentido para o seu perfil são maiores e a possibilidade de sucesso futuro também. Isso, automaticamente, vai ajudar a deixar o candidato mais à vontade para a entrevista e as chances de sucesso serão maiores.

A entrevista por vídeo não é um bicho de sete cabeças. Espero ter ajudado com esses tópicos e te desejo sucesso nos processos seletivos.

Assinatura de Isis Borge
VOCÊ RH/Divulgação

 

Continua após a publicidade
Publicidade