Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

48% das empresas vão retornar ao escritório apenas em 2022, diz pesquisa

Pesquisa da KPMG com quase 300 companhias brasileiras revela também que a maior parte das companhias manterá o home office alguns dias por semana

Por Redação Atualizado em 29 set 2021, 20h45 - Publicado em 5 out 2021, 07h00

Um levantamento feito pela consultoria KPMG com quase 300 companhias brasileiras mostra que as organizações estão divididas entre retornar ou não ao escritório neste ano. De acordo com a sexta edição da Pesquisa Covid-19: Como será o retorno aos escritórios, 52% devem retomar as atividades presenciais no segundo semestre de 2021, 40% vão deixar isso para o primeiro semestre de 2022 e 8% voltarão apenas no segundo semestre do ano que vem.

 

  • Mas isso não significa que o home office vai acabar: 85% das companhias continuarão a oferecer essa possibilidade aos funcionários – a maior parte delas (30%) permitirá o trabalho em casa três vezes por semana.

    “Ainda há um ambiente de insegurança dos executivos para o retorno pleno dos profissionais aos escritórios, processo de deve ocorrer de forma ainda gradual. Algumas variáveis surgiram, como o aparecimento de novas cepas e, por isso, a decisão sobre o retorno parece que está sendo postergada”, afirma Jean Paraskevopoulos, sócio-líder de Clientes e Mercados da KPMG no Brasil e na América do Sul.

    Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de VOCÊ RH? É só clicar aqui para ser nosso assinante.

    Continua após a publicidade
    Publicidade