Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

A Cart gerencia a dispersão geográfica de seu quadro

Para driblar a distância, bimestralmente o RH roda todas as unidades para falar com as pessoas e recolher sugestões

Por Renata Avediani Atualizado em 5 dez 2020, 20h48 - Publicado em 26 mar 2013, 17h56

Bauru (SP) – Um dos maiores desafios da Concessionária Auto Raposo Tavares, a Cart, é gerenciar a dispersão geográfica de seu time pelos 440 quilômetros de estradas que administra. A empresa do Grupo Invepar — que tem como acionistas os fundos de pensão Funcef, Petros, Previ e a empresa OAS Investimentos — tem 25 postos de trabalho, contando sua sede em Bauru (SP), a 326 quilômetros da capital paulista.

Para driblar a distância, desde agosto de 2011 a Cart criou o programa RH com Você. Por meio dele, bimestralmente o departamento roda todas as unidades para falar com as pessoas e recolher os formulários depositados nas urnas de sugestões. Além de aumentar o senso de pertencimento do grupo e manter todo mundo por dentro do que acontece na companhia, a prática permite identificar pequenos pontos de melhoria, impossível de serem detectados à distância.

Outro canal utilizado para estar mais perto das pessoas é a própria liderança. Para isso, a empresa tem investido bastante na capacitação de seus gestores. No ano passado foram 350.000 reais — até o meio deste ano a verba já havia sido 57% maior, com mais de 140 horas de cursos e palestras.

Por meio do Programa de Desenvolvimento Individual (PDI), usado para a capacitação dos profissionais identificados como talentos, quatro dos 15 gerentes foram selecionados para participar de um programa de formação de gestores pela Fundação Dom Cabral. Eles foram escolhidos com base no resultado da avaliação de desempenho, implantada em 2010 e ainda utilizada apenas por gerentes e coordenadores.

A ideia é cascatear aos poucos aos demais níveis da organização até que abranja todos os empregados, o que deve ocorrer em aproximadamente três anos. A companhia também tem uma política de bolsas de estudo. Trinta e seis pessoas recebem subsídio para idiomas e MBA. Ficaria mais completo se o benefício contemplasse também os cursos de graduação, já que praticamente 80% do time ainda não tem nível superior completo.

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
As dicas semanais de saúde e o estímulo à leitura, com biblioteca interna que viabiliza o empréstimo de mais de 300 livros para os funcionários. Falta formalizar reuniões para todas as áreas e melhorar o recrutamento interno, estruturando feedback para quem não passa no processo.
Continua após a publicidade
Publicidade