Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

A Prudential valoriza a prata da casa

A empresa investe em recrutamento interno e em treinamentos de liderança - alem de desenvolver competências comportamentais

Por Michelle Aisenberg Atualizado em 5 dez 2020, 20h49 - Publicado em 26 mar 2013, 16h53

Rio de Janeiro (RJ) – A crise financeira que afeta os Estados Unidos nos últimos anos não deu sinais de que vai abalar a americana Prudential, especializada em seguros. Em pleno crescimento, a empresa tem planos de aumentar seu quadro de pessoal em 10% ainda em 2012. Essa segurança reflete-se diretamente na fala dos funcionários.

“O clima é de confiança. Estou grávida do meu segundo filho e não tenho a menor preocupação de sair de licença e não encontrar meu lugar quando voltar. Também é da cultura da empresa respeitarmos uns aos outros”, diz uma coordenadora.

Conhecida por valorizar a prata da casa, a Prudential tem política de recrutamento interno, investe em programas de desenvolvimento de liderança e todos os anos estabelece um calendário de treinamentos para os empregados, com o objetivo de desenvolver suas competências comportamentais.

Também tem um plano de sucessão estruturado, por meio do qual cada gestor, para assumir um cargo mais alto, prepara seu substituto imediato, caso a oportunidade apareça. O retorno desse trabalho aparece nos números: 70% dos atuais gestores vieram do programa de sucessão e 91% dos cargos de coordenação são ocupados por pessoas formadas na companhia.

A avaliação de desempenho acontece duas vezes por ano e permite que todos se avaliem independentemente do nível ou do cargo que ocupam. O resultado final serve também para a criação de um ranking de profissionais, de onde saem os destaques do ano — um gestor e um não gestor.

Ambos participam de uma conferência da Prudential em outro país. Este ano, o encontro aconteceu em Barcelona, na Espanha. A Prudential oferece ainda um programa de coaching, que visa ao desenvolvimento de seus gerentes e executivos, com base no programa de avaliação de desempenho, na avaliação especial dos pares e no plano de sucessão. Atualmente, está em andamento o projeto Grading, que busca equiparar cargos e salários de seu pessoal em todo o mundo, formando uma grade globalizada. 

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
A extensão do programa de coaching para os funcionários de nível operacional e a criação do programa de mentoring para os gestores. Os empregados sugerem que a empresa ofereça bolsas de estudo para cursos de pós-graduação, MBA, mestrado e doutorado.
Continua após a publicidade
Publicidade