Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Na Eternit, amianto é um assunto delicado

A empresa providencia checkups anuais dos funcionários. Eles incluem radiografia de tórax e exame dos pulmões, órgão mais exposto à intoxicação por amianto

Por Murilo Ohl Atualizado em 5 dez 2020, 20h48 - Publicado em 27 mar 2013, 18h10

São Paulo (SP) – Fabricante de caixas-d’água e telhas, a Eternit tem presença no Brasil desde 1940, embora hoje tenha uma gestão independente da empresa belga que a originou.

Atualmente, o grupo tem quatro fábricas no Brasil e ainda controla a Sama, única mineradora de amianto crisotila do país e uma das maiores do mundo, também presente neste Guia.

Impossível falar da Eternit sem tocar num assunto delicado para seus funcionários:  a manipulação do amianto, matéria-prima dos principais produtos da companhia. Há grande discussão acerca dos danos para a saúde que o amianto pode gerar, como problemas respiratórios e câncer de pulmão.

O Brasil tem leis que regulam a produção e a comercialização de produtos com o minério. Outros países baniram seu uso, especialmente os da Europa, onde outra variedade do amianto (o anfibólio) foi usada sem o devido cuidado e causou muitas mortes. No Brasil, quatro estados promulgaram leis que proíbem a venda de materiais que contenham amianto crisotila.

No entanto, ações no Supremo Tribunal Federal  questionam a validade dessas leis e não existe, até hoje, uma decisão final sobre a questão. Um dos objetivos deste Guia é dar voz ao funcionário das empresas participantes. No caso dos empregados da Eternit, pessoas que lidam no dia a dia com a manufatura de itens que contêm amianto, a sensação é de segurança.

“Existe muito rigor com proteção, usamos roupas e máscaras para evitar o contato com o produto”, diz um operário. A companhia procura tratar o assunto com transparência. Do ponto de vista da saúde do funcionário, faz checkups anuais que incluem radiografia de tórax e exame dos pulmões, órgão mais exposto à intoxicação por amianto.

Também disponibiliza informações sobre o produto em seu site e pratica uma política de portas abertas ao público interessado em visitar as instalações. É suficiente? Só o tempo dirá. Mas, diante da pergunta “você tem medo de desenvolver um câncer por causa do trabalho?”, a resposta dos empregados, unânime, é “não”. 

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
Há muitos relatos de ações de apoio a funcionários e familiares em momentos delicados, como doenças não cobertas pelo plano de saúde e dificuldade financeira. O bônus beneficia a liderança. Cargos operacionais ganham até um salário de participação nos lucros, enquanto os gerentes ganham até seis e diretores, até 12.
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue no caminho para se tornar uma referência. Assine VC RH e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VOCÊ RH! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Receba todo bimestre a VOCÊ RH impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VOCÊ RH, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês