Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Na Monsanto, há reembolso de metade do gasto com academias

Na frente das oportunidades, o Click Carreira anuncia as vagas abertas internamente na intranet da empresa

Por Marcia Kedouk Atualizado em 5 dez 2020, 20h49 - Publicado em 26 mar 2013, 17h01

São Paulo (SP) – Em 2011, duas questões mereceram um olhar mais atento da Monsanto, companhia global de biotecnologia e agronegócio: atração e retenção de talentos e adequação da carga de trabalho.

“Mesmo com um pacote de remuneração e benefícios ajustado, se houver excesso de tarefas, falta de transparência nas movimentações ou despreparo de gestores, a tendência é perder profissionais”, diz André Franco, diretor de recursos humanos. Para se antecipar a esse cenário, a área de aquisição de talentos passou de uma para nove pessoas.

Desoneradas dos processos mais burocráticos, como trâmites com folha de pagamento, elas focaram na captação e na gestão de profissionais, incluindo a qualificação da liderança. Os números são consideráveis: quase 3 milhões de investimento em treinamento e desenvolvimento, redução de 9% para 4,6% de vagas em aberto, o que aliviou o peso para quem se multiplicava para cobrir os buracos no quadro, 359 promoções e 145 movimentações horizontais.

Também foram estruturados dois programas — um para a formação de jovens líderes, com início em 2012, e o Click Carreira, canal na intranet que desde março divulga as oportunidades internas e permite que qualquer funcionário se candidate, desde que atenda aos pré-requisitos para a função.

Com esse arsenal de ações a previsão é diminuir o turnover de 16% para 13% até dezembro e deixar ainda mais satisfeito quem escolhe crescer ali. Sim, porque a identificação dos empregados com a companhia é enorme.

“A Monsanto é contagiosa. Somos parte da solução para a falta de alimentos no mundo”, defende um deles, lembrando o compromisso firmado pela empresa de trazer ao mercado nos próximos anos variedades de semente de milho, soja e algodão que produzam até duas vezes mais e utilizem um terço a menos de recursos como água, solo, energia e insumos, demandando também menor emissão de gás carbônico. Aliás, em 2011, os programas ambientais, culturais e sociais da Monsanto receberam uma injeção de 5,5 milhões de reais.

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
A empresa oferece para todos reembolso de 50% dos custos com academia e, para 75% do quadro, jornada reduzida na sexta, compensada nos outros dias. Alguns consideram que o RH deveria ser mais próximo das equipes operacionais, não só da liderança. E que o tempo gasto em reuniões poderia ser menor.
Continua após a publicidade
Publicidade