Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Na SKF, o turnover médio não passa de 1%

Isso sem contar que muita gente que sai acaba voltando

Por Renata Avediani Atualizado em 5 dez 2020, 20h48 - Publicado em 13 jun 2013, 07h48

Cajamar (SP) – No primeiro semestre deste ano, a múlti sueca fabricante de rolamentos para carros, com sede em Cajamar, na Grande São Paulo, precisou apertar os cintos. Devido à crise econômica internacional, a empresa viu sua produção cair 30%, já que 20% dela é exportada para a Europa e os Estados Unidos.

Mas o desempenho menor não adiou os planos de expansão da SKF no Brasil, que deve mudar ainda em 2012 seu centro logístico de Barueri (SP) para Cajamar, em um espaço mais amplo. Além disso, no primeiro semestre de 2013 deve sair do papel o projeto do novo prédio de escritórios, na sede da empresa, 30% maior do que o atual, que deve abrigar todas as áreas da companhia em 2014.

A obra é mais do que bem-vinda, porque os espaços de trabalho na empresa estão apertados. Para minimizar os transtornos, o tema vem sendo debatido em reuniões entre representantes da SKF e dos funcionários. Essa gestão participativa, que envolve os empregados nas decisões, é um dos maiores orgulhos do time.

Para quem é de uma das áreas técnicas, outro grande diferencial é a oportunidade de trabalhar com tecnologias de ponta e fazer parte de uma operação considerada um centro de excelência pelas demais subsidiárias. O Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) motiva. Trata-se de um documento elaborado entre líder e liderado, feito após a avaliação semestral de desempenho e o feedback. Mais do que servir como norte para o desenvolvimento do profissional, o PDI é mandatório nas promoções e movimentações na companhia.

Ele também é um instrumento importante de planejamento de carreira porque deixa claro ao empregado o que ainda precisa desenvolver na posição em que está e o que será preciso fazer para atingir degraus mais altos. Tudo isso, em parte, explica o baixíssimo turnover médio de 1% nos últimos quatro anos e os frequentes casos de profissionais que saíram e voltaram. “Aceitei outro desafio fora daqui, mas voltei e não pretendo mais sair”, diz um deles. 

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
O pacote de benefícios é muito bem-visto pelos funcionários. As promoções são comunicadas ao time por e-mail, com um pequeno currículo do profissional Há auxílio-creche para as mulheres, mas a localização da empresa é fora de mão para muitos funcionários com filhos, que gostariam de ter uma creche interna.
Continua após a publicidade
Publicidade