Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Saúde mental e produtividade: por que investir em qualidade de vida?

Cerca de 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou no último ano. As consequências disso são times mais desmotivados e pouco produtivos

Por Abril Branded Content Atualizado em 29 mar 2022, 13h38 - Publicado em 29 mar 2022, 13h00

Um levantamento feito pela plataforma Capterra mostra que sete em cada dez pessoas tiveram algum sintoma de burnout desde que começaram a trabalhar em casa. Outro estudo, do Instituto Ipsos, aponta que 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou no último ano. As consequências são times mais desmotivados e pouco produtivos, o que se reflete diretamente no clima, nos resultados da empresa e na atração de talentos. Um dos motivos do aumento de doenças mentais é o volume de trabalho, que se intensificou com a adesão das empresas ao home office. Sem horário para entrar e sair, os funcionários passaram a trabalhar sem interrupção.

Segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), 70% dos profissionais brasileiros dizem estar com cargas de trabalho mais altas. O aumento se deve a questões como redução de times, metas mais rigorosas e insegurança por conta da instabilidade da economia. Tudo isso pode levar as pessoas à exaustão e as companhias à perda de competitividade e marca empregadora.

Lidar com esse cenário requer uma nova postura do RH, que deve olhar as pessoas de forma integral e individualizada. Isso exige uma mudança de cultura, na qual as pessoas estejam em primeiro lugar e haja um ambiente que garanta a segurança psicológica dos funcionários, ou seja, caracterizado pela confiança que os funcionários têm em expressar opiniões, dar ideias, fazer perguntas, e, principalmente, saber que o erro faz parte do processo e pode ser fonte de aprendizado e não de punição. Tão importante quanto esses pontos está o trabalho da área em incentivar e oferecer ferramentas para manter a qualidade de vida.

Essa é a proposta da Betterfly, empresa que conta com uma plataforma de benefícios digitais que recompensa hábitos saudáveis com um seguro de vida e a opção de doar para instituições sociais. Na prática, a plataforma rastreia e recompensa os bons hábitos dos colaboradores com doações a ONGs parceiras e com o aumento na cobertura do seguro de vida. Isso quer dizer que se o funcionário realizar atividades como caminhar, meditar ou praticar esportes, recebe “BetterCoins”, moedas virtuais, e pode trocá-las por doações sociais para uma causa à sua escolha, além de aumentar a sua proteção financeira por meio do seguro de vida dinâmico. Os usuários podem progredir nos níveis, enfrentar desafios e competir nas tabelas de classificação da empresa.

 Entre os benefícios oferecidos estão telemedicina, ações de saúde mental, programas de exercícios, orientação nutricional e educação financeira. Tudo isso para fornecer um ecossistema integrado com o propósito de melhorar, proteger e transformar a vida das pessoas. “O objetivo é que as pessoas possam usufruir de benefícios em vida, democratizando o acesso ao bem-estar físico, mental e financeiro e, ao mesmo tempo, impactando a comunidade, diz Eduardo della Maggiora, CEO da empresa. Segundo ele, oferecer um benefício deste tipo pode ser um diferencial competitivo para companhias que desejam reter e engajar os funcionários. Além disso, traz resultados efetivos. De acordo com dados da OMS, cada dólar destinado por governos e organizações a políticas e tratamentos para manter equipes psicologicamente sadias resulta em retorno de 4 dólares em produtividade.

Continua após a publicidade

 


Por dentro da Betterfly

A empresa está presente em mais de 2.500 companhias. Na parte social, são mais 49 mil de litros de água potável levados a regiões com dificuldades de acesso, cerca de US$ 1 milhão em doações para diferentes ONGs e causas sociais, 300 mil árvores plantadas e em torno de 3 milhões de refeições doadas para crianças carentes em toda a América Latina.


 

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue no caminho para se tornar uma referência. Assine VC RH e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da VOCÊ RH! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Receba todo bimestre a VOCÊ RH impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VOCÊ RH, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

App VOCÊ RH para celular e tablet, atualizado mensalmente

a partir de R$ 12,90/mês