Clique e Assine VOCÊ RH por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Na Takeda, reina o Balanced Scorecard

Na empresa, Guardiões do Clima têm o papel de alinha o desenvolvimento individual aos planos estratégicos da casa

Por Roseli Loturco
Atualizado em 5 dez 2020, 20h49 - Publicado em 21 mar 2013, 14h24

São Paulo (SP) – O ano de 2011 foi marcado não só pela consolidação da operação de compra da Nycomed pela Takeda, no Brasil e no mundo, mas também por mais uma conquista: ser uma das melhores empresas para trabalhar no país em meio a uma meganegociação. O que não é pouco se se levar em conta o período de muitas mudanças dentro de casa.

Uma das decisões já tomadas é que sai de cena o nome Nycomed e entra o da Takeda, marca ainda desconhecida entre os brasileiros, mas, de longe, uma das companhias farmacêuticas mais fortes no Japão e nos Estados Unidos. A estratégia, com a compra, foi justamente ganhar maior presença em países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) e dobrar de tamanho em cinco anos.

Ter um novo dono não abalou, porém, a sólida gestão de pessoas já praticada pela farmacêutica. Desde 2008, a empresa utiliza o Balanced Scorecard, um mapa estratégico que resume os compromissos futuros que todos deverão assumir individualmente e no coletivo. Logo após a elaboração e a cada revisão, o mapa é divulgado por toda a companhia.

Além do programa Crescer e Vencer, pelo qual a Takeda dissemina sua cultura e metas, a comunicação é intensificada por meio de reuniões periódicas em todos os níveis. Dessa forma, as atribuições e responsabilidades dos profissionais são definidas junto com os líderes, com a ajuda dos Guardiões do Clima, que têm o papel de alinhar o desenvolvimento individual aos planos estratégicos de cada área.

Esse é, na opinião de muitos, um dos pontos altos da Takeda. “A empresa incentiva o desenvolvimento constante de cada um de nós e cria oportunidades de promoção”, afirma um funcionário. Em 2011, foram realizadas 253 promoções. A preocupação com a formação dos líderes se apoia em três grandes programas: o Pratical Leadership Programme, o Coaching Individual e de Equipes e o Performa (Programa de Desenvolvimento de Carreira para Líderes). Só no ano passado, a companhia investiu 705.000 reais na formação e especialização de seus 150 gestores. 

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
O programa de participação nos resultados pagou até 3,5 salários em 2011. A empresa oferece horário flexível também para os colaboradores da fábrica. Existe certo distanciamento na comunicação entre fábrica e matriz, e o plano de saúde fora de São Paulo não é bom, na opinião dos gestores.
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Você RH impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.