Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Na Takeda, reina o Balanced Scorecard

Na empresa, Guardiões do Clima têm o papel de alinha o desenvolvimento individual aos planos estratégicos da casa

Por Roseli Loturco Atualizado em 5 dez 2020, 20h49 - Publicado em 21 mar 2013, 14h24

São Paulo (SP) – O ano de 2011 foi marcado não só pela consolidação da operação de compra da Nycomed pela Takeda, no Brasil e no mundo, mas também por mais uma conquista: ser uma das melhores empresas para trabalhar no país em meio a uma meganegociação. O que não é pouco se se levar em conta o período de muitas mudanças dentro de casa.

Uma das decisões já tomadas é que sai de cena o nome Nycomed e entra o da Takeda, marca ainda desconhecida entre os brasileiros, mas, de longe, uma das companhias farmacêuticas mais fortes no Japão e nos Estados Unidos. A estratégia, com a compra, foi justamente ganhar maior presença em países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) e dobrar de tamanho em cinco anos.

Ter um novo dono não abalou, porém, a sólida gestão de pessoas já praticada pela farmacêutica. Desde 2008, a empresa utiliza o Balanced Scorecard, um mapa estratégico que resume os compromissos futuros que todos deverão assumir individualmente e no coletivo. Logo após a elaboração e a cada revisão, o mapa é divulgado por toda a companhia.

Além do programa Crescer e Vencer, pelo qual a Takeda dissemina sua cultura e metas, a comunicação é intensificada por meio de reuniões periódicas em todos os níveis. Dessa forma, as atribuições e responsabilidades dos profissionais são definidas junto com os líderes, com a ajuda dos Guardiões do Clima, que têm o papel de alinhar o desenvolvimento individual aos planos estratégicos de cada área.

Esse é, na opinião de muitos, um dos pontos altos da Takeda. “A empresa incentiva o desenvolvimento constante de cada um de nós e cria oportunidades de promoção”, afirma um funcionário. Em 2011, foram realizadas 253 promoções. A preocupação com a formação dos líderes se apoia em três grandes programas: o Pratical Leadership Programme, o Coaching Individual e de Equipes e o Performa (Programa de Desenvolvimento de Carreira para Líderes). Só no ano passado, a companhia investiu 705.000 reais na formação e especialização de seus 150 gestores. 

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
O programa de participação nos resultados pagou até 3,5 salários em 2011. A empresa oferece horário flexível também para os colaboradores da fábrica. Existe certo distanciamento na comunicação entre fábrica e matriz, e o plano de saúde fora de São Paulo não é bom, na opinião dos gestores.
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue no caminho para se tornar uma referência. Assine VC RH e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da VOCÊ RH! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Receba todo bimestre a VOCÊ RH impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VOCÊ RH, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

App VOCÊ RH para celular e tablet, atualizado mensalmente

a partir de R$ 12,90/mês