Assine VOCÊ RH por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Empresas recorrem a multiplicadores internos para reduzir custos

Para reduzir os gastos com treinamento, companhias recorrem aos próprios colaboradores para ministrar cursos e replicar o conhecimento entre os colegas

Por Anna Carolina Rodrigues
Atualizado em 5 dez 2020, 19h13 - Publicado em 6 dez 2017, 04h00

Uma das soluções mais adotadas para reduzir os custos com treinamento pelas companhias classificadas no Guia VOCÊ S/A – As 150 Melhores Empresas para Trabalhar foi a de recorrer a multiplicadores internos. Quase 80% das organizações selecionadas na lista possuem sistemas formais de gestão voltados para o estímulo ao compartilhamento de conhecimentos e à troca de experiências.

Na CNH Industrial, com sede em Nova Lima (MG) e 7 200 funcionários espalhados pelo Brasil, o programa Multiplicar oferece treinamentos com duração de duas a quatro horas.

Em 2016, cerca de 1 300 empregados participaram de 87 cursos que somaram 6 000 horas de capacitação. Os colaboradores que atuam como multiplicadores recebem um certificado por sua contribuição. “Esse programa tem o objetivo de desenvolver competências usando recursos internos, mas também gera muita interação entre as áreas”, afirma a gerente de RH, Suzilei Matozinho.

A DB1 Global Software, de Maringá (PR) foi ainda mais longe e criou duas iniciativas nessa linha. De um lado, há o Lightning Talks, programa em que os funcionários realizam palestras de 15 minutos sobre algum tema. Todas as falas são transmitidas ao vivo e gravadas.

Continua após a publicidade

Dessa forma, quem não pode comparecer consegue usufruir do conteúdo depois. E há também o Mestre dos Códigos, focado no time de desenvolvimento. Nesse game baseado na era medieval, os territórios são divididos em linguagens de programação utilizadas na empresa, como Java e PHP. Para conquistar territórios e subir de nível, é preciso se desenvolver nessas linguagens – o que requer que os jogadores menos experientes busquem se aprofundar nesse conhecimento com os especialistas nessas tecnologias. Por isso, monitorias sobre programação foram realizadas para quem queria aprender mais.

O sucesso foi tanto que que até profissionais de fora da área técnica se interessaram em aprender sobre programação por causa do jogo. Temos muitas ilhas de conhecimento e essas iniciativas ajudam a compartilhar isso, além de contribuir para a retenção dos funcionários, pois quem é convidado a ministrar um treinamento se sente valorizado”, diz Natalia Kawatoko, gerente de RH da DB1.

A adesão e avaliação dos cursos nesses novos formatos têm sido melhores do que as que eram obtidas, anteriormente, nos treinamentos tradicionais. Uma prova de que, quando existe criatividade, a crise pode ser um motor para a inovação e para a melhora dos resultados.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

As empresas estão mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VOCÊ RH.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Você RH impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.