Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Studio Sol muda escritório pensando no conforto do funcionário

Veja como é o escritório da Studio Sol, em Belo Horizonte

Por Tamires Vitorio Atualizado em 5 dez 2020, 19h12 - Publicado em 26 jan 2018, 04h00

Trinta e cinco guitarras e cerca de 200 discos de vinil pendurados no teto, além de letras de músicas impressas nas paredes, dão o tom do novo escritório da Studio Sol, dona dos sites Letras, Cifra Club e Palco MP3, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Distribuídos numa área de 520 metros quadrados, os 60 profissionais que ficam na unidade, mesmo tendo mesa fixa, ganham liberdade para trabalhar onde quiserem graças aos sofás de apoio e às mesas para notebooks, que permitem fazer as tarefas em pé. “Além de buscarmos uma postura sustentável, com eficiência energética [as janelas são de vidro para reduzir gastos com energia], nos preocupamos com o conforto dos funcionários. A cadeira em que eles se sentam é a mais confortável do mercado — testamos 20 modelos antes de as escolhermos”, diz Samuel Vignolli, diretor de recursos humanos.

O espaço conta com uma sala de descanso, na qual é comum ver o pessoal tirando um cochilo na hora do almoço, e uma de descompressão, com videogame e televisor, na qual podem assistir a filmes e séries. Numa parede de 14 metros quadrados é projetada a história da Studio Sol, desde 1996, quando Gabriel Fernandes Pinto lançou o Cifra Club, passando por 2003, quando só tinha dois funcionários (o fundador e o RH, sócio da empresa), até os dias de hoje. Ao todo, a companhia emprega 92 pessoas, espalhadas em três escritórios a 1 quilômetro de distância um do outro. O novo espaço tem causado polêmica. “Estamos ficando sem lugar, e alguns funcionários precisam voltar para os endereços antigos — mas eles não gostam da ideia”, afirma Vignolli.

Publicidade