Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Foto de Isis Borge Isis Borge Diretora da divisão de recrutamento Engenharia, Supply Chain, Marketing e Vendas da Talenses

Como pedir feedback para o recrutador durante o processo seletivo?

Todo candidato tem direito a receber feedbacks, mas não é isso o que acontece no geral. Conheça 6 passos para solicitar um retorno

Por Isis Borge, colunista de VOCÊ RH Atualizado em 15 out 2021, 20h40 - Publicado em 15 out 2021, 08h00

Infelizmente, hoje, todos sabemos que um ponto de bastante insatisfação dos candidatos às vagas de emprego é a falta de feedback de muitos processos seletivos. Isso, além de elevar o nível de ansiedade dos profissionais, certamente gera muitas dúvidas sobre a hora certa de pedir um retorno sobre uma seleção.

Considero uma falta de consideração e de respeito não dar um retorno de um processo seletivo para um candidato. Ele deveria ser parte obrigatória da ação de recrutar. Inclusive, decidi escrever esse texto diante do alto número de candidatos que ficam surpresos quando telefono para dar o feedback negativo de um processo seletivo.

Para facilitar esse pedido de feedback, sugiro seguir seis recomendações:

1. Alinhe as expectativas logo no início do processo

Quando o processo é liderado por um headhunter, em geral, o primeiro passo é um alinhamento entre ele e o candidato, antes do envio de um currículo para a empresa que tem a vaga em aberto. Geralmente, o headhunter sinaliza ao profissional que o perfil dele é aderente à posição e informa que o currículo será apresentado ao gestor ou RH da companhia.

Nessa conversa, procure questionar o headhunter com relação aos prazos. Pergunte quando o perfil será apresentado, se o recrutador tem uma ideia de data desse alinhamento. Digo isso porque nem sempre essas comunicações acontecem no dia seguinte. Às vezes, podem demorar uma semana ou até mais. O retorno de uma apresentação de um perfil só é imediato se a vaga estiver extremamente crítica e urgente.

Ao saber qual é a data, você pode se programar para, no dia seguinte ao prazo, entrar em contato para saber como foi a reunião e se o seu perfil tem chances de seguir em frente no processo.

2. Combine uma forma de comunicação

Questione se o recrutador prefere conversar via telefone, e-mail, WhatsApp ou qualquer outro meio de comunicação. Pode parecer algo básico. Mas isso é necessário porque cada pessoa funciona melhor de um jeito. Alinhar esse formato pode melhorar a comunicação. Caso tenha interesse em esclarecer algo por telefone, sempre envie uma mensagem de texto antes questionando se o recrutador tem alguma brecha na agenda para um bate-papo rápido. Em alguns casos, uma ligação costuma ser mais prática para entender exatamente o que está acontecendo e quais são as suas reais chances de seguir no processo.

3. Ajuste as expectativas ao longo do processo

Vamos supor que você receba convite para uma entrevista. No final de cada etapa, nada te impede de reforçar o seu interesse na posição, questionar em quanto tempo você terá um retorno sobre a fase em questão e perguntar quem é a pessoa que deve te retornar com um feedback. Assim, fica fácil acompanhar quando o prazo se aproxima ou quando ele expirar. Além disso, saberá exatamente quem procurar, caso o retorno não venha. Também é interessante sondar quantas etapas compõem o processo. Assim, ficará mais fácil entender a sua evolução no recrutamento.

4. Busque entender o motivo do atraso ou da falta de feedback

Não dá para negar que algumas empresas deixam de dar feedback sobre os processos seletivos ou por conta da falta de cultura dessa prática ou por terem equipes extremamente reduzidas ou pouco especializadas nessa ação, o que são falhas graves que precisam ser corrigidas. Mas a razão mais comum para a falta de retorno é quando o processo demora mais tempo do que o projetado inicialmente, seja porque alguém envolvido tirou férias, existe um trâmite burocrático de aprovação da vaga ou a empresa está em dúvida sobre o perfil desejado. Na pandemia, também vi muitas empresas que se encantaram por algum candidato, mas não puderam fazer a oferta porque as admissões foram temporariamente congeladas. Isso para citar apenas algumas razões.

Continua após a publicidade

Seja qual for a situação, eu sempre acho mais eficiente fazer uso da comunicação clara e objetiva com os candidatos para que eles saibam o que está acontecendo e, então, decidir se querem continuar ou não a esperar pelo retorno. Para o profissional que espera por um retorno, qualquer informação sobre a situação do processo é melhor do que a sensação de vazio, de não entender o que está acontecendo.

5. Cobre o retorno com gentileza

Eu vejo pessoas com receio de pedir o retorno de um processo seletivo por receio de serem mal interpretadas. Se esse é o seu caso, apoie-se no bom senso e deixe esse medo de lado. A sua abordagem pode ser por meio de uma mensagem curta, gentil e objetiva para quem estiver à frente da condução do processo seletivo. Veja alguns exemplos simples de mensagens:

“Olá, XXX! Aqui é o [seu nome], que está no processo seletivo XYZ. Por favor, você tem uma brecha de cinco minutos na sua agenda, entre hoje e amanhã, para falarmos sobre o processo? Agradeço o seu retorno. Um abraço!”

“Olá, XXX! Aqui é o [seu nome]. Eu estive contigo no dia XX conversando sobre uma vaga para a qual você iria tentar aprovar o meu perfil junto ao gestor. Por favor, você já teve algum retorno? Eu gostaria de saber, pois tenho bastante interesse na posição. Agradeço o seu retorno. Um abraço!”

“Olá, XXX! Aqui é o [seu nome]. Eu estou no processo seletivo da vaga XYZ. Escrevo porque estou interessado na posição e gostaria de ter uma previsão da data de retorno da minha última entrevista, que aconteceu no dia YYY. Por favor, você me posiciona? Um abraço!”

“Olá, XXX! Aqui é o [seu nome], que está no processo XYZ. Eu lembro que teríamos um retorno do processo seletivo no dia XX. Como eu não tive uma devolutiva ainda, te escrevo para perguntar se eu sigo no processo. Seria importante eu ter uma previsão de quais são os próximos passos. Agradeço o seu retorno. Um abraço!”

6. Saiba a hora de insistir no retorno

Quando insistir no retorno é uma dúvida frequente entre os candidatos. Tudo vai depender do que o recrutador disse na última conversa que tiveram. Mas, em geral, o recomendado é que você não insista antes de, pelo menos, uma semana. Eu já conduzi processos seletivos em que a empresa demorou, literalmente, meses para evoluir de uma etapa para a outra. Eu costumo me antecipar quanto aos feedbacks ou informações sobre atraso ou congelamento dos processos, mas sei que essa não é uma prática comum. Então, não se iniba, e vá em busca do retorno que precisa. Apenas tenha cuidado com o tom do pedido de retorno. Procure não transparecer uma imagem agressiva ou inconveniente. Com educação, tudo tende a fluir melhor.

Diante de uma negativa, busque saber o motivo

Outro ponto importante a mencionar, se você tiver uma devolutiva negativa do processo seletivo, sempre pergunte o porquê. Em alguns casos, o recrutador tem essa resposta de forma bem detalhada. Em outros casos, é possível que ele não tenha uma resposta exata. De qualquer forma, por mais que essa não seja uma notícia fácil de receber, nessas conversas sempre existe a oportunidade de identificarmos pontos de melhoria no nosso próprio perfil e, quem sabe, ter um melhor desempenho na próxima oportunidade.

Eu, de verdade, acho que todas as pessoas têm direito a um retorno. Afinal, expectativas são criadas e os profissionais investem tempo e recursos para participar da seleção. Alguns processos, inclusive, envolvem assessments comportamentais, estudos de caso, testes dos mais variados tipos e, no final, não ter notícias sobre o desempenho é bem chato, na visão do candidato. Então, não se sinta mal por pedir um retorno, é seu direito recebê-lo.

Espero que, algum dia, alguém leia esse texto e se questione: “Nossa! Já existiu um processo seletivo em que pessoas ficavam sem feedback?” Eu torço para que esse dia chegue e que essas minhas dicas te ajudem de alguma forma. Muito sucesso para você.

Assinatura de Isis Borge
VOCÊ RH/Divulgação
Continua após a publicidade

Publicidade