Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Mercado e Vagas

Síndrome de boreout: quando o tédio se torna um problema

Falta de comprometimento, desânimo e baixa autoestima podem ser sintomas da síndrome de boreout, que tem crescido na pandemia

por Hanna Oliveira Atualizado em 15 jun 2021, 13h34 - Publicado em
18 jun 2021
07h00

Esta reportagem faz parte da edição 74 (junho/julho) de VOCÊ RH

H

oras se arrastando, impressão de que o momento presente é uma repetição eterna dos acontecimentos do dia anterior, falta de vontade para exercer tarefas que antes eram prazerosas, descumprimento de prazos, mesmo com sensação de tempo sobrando, necessidade de refazer várias vezes o mesmo trabalho, impressão de que ninguém — nem si próprio — valoriza suas realizações. Sentimentos como esses estão afetando muitos profissionais pelo mundo que, isolados em suas casas na pandemia, se sentem também à parte da própria existência, num ciclo de desânimo e baixa autoestima.

Esse quadro descreve sinais de um problema grave para funcionários e empresas: a síndrome de boreout, palavra que empresta o termo em inglês boring para descrever uma sensação de tédio generalizado, que tem o potencial de ser tão perigosa para a saúde mental quanto a síndrome de burnout. “É o infarto da alma”, diz Efigenia Vieira, psicanalista, headhunter e CEO da consultoria Upside Executive Search.

  • Sem enxergar um sentido no trabalho e com a percepção de que a empresa não o valoriza, o profissional fica envergonhado e entra em um impasse: emite alertas de ajuda que acabam sendo, muitas vezes, percebidos como preguiça. Isso atribui erroneamente um caráter moral à questão, já que, socialmente, esse estado de espírito é visto até como pecado. Mas o assunto é muito mais complexo. No fundo, tem a ver com a perda de entusiasmo pelas atividades. “O sentimento que se tem é de falta de conexão com o trabalho e com a empresa”, afirma Efigenia.

    Este trecho faz parte de uma reportagem da edição 74 (junho/julho) de VOCÊ RH. Para ler o texto completo, compre a edição 74 de VOCÊ RH, que já está nas bancas de todo o país. Ou clique aqui para se tornar nosso assinante e tenha acesso imediato à edição digital, disponível para Android e iOS.

    Continua após a publicidade