Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Após um AVC, esta executiva voltou ao mercado em plena pandemia

Com carreira em multinacional, Giulianna Boscardin sofreu um AVC por conta de estresse. Depois de uma pausa e de empreender, aceitou a proposta da HostGator

Por Luciana Lima Atualizado em 9 dez 2020, 23h15 - Publicado em 20 out 2020, 09h30

Esta reportagem foi publicada na edição 69 (agosto/setembro) de VOCÊ RH.

Durante 13 anos, a psicóloga Giulianna Boscardin, de 32 anos, percorreu uma trajetória na área de recursos humanos trabalhando em multinacionais dos ramos químico e de atendimento ao cliente. Porém, em 2019, um problema sério de saúde obrigou que ela repensasse totalmente sua carreira. Em maio daquele ano, Giulianna sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), provocado por estresse no trabalho.

“Na minha última posição, eu ocupava um cargo global, com uma rotina de viagens que era bastante exaustiva, algo que afetou minha saúde.” Ela, então, resolveu deixar o mundo corporativo e ir para a área acadêmica. “Além de dar aulas em uma instituição, fundei minha própria escola de negócios, a Mind Boost. “Como professora de inteligência emocional e liderança, ingressei numa jornada de autoconhecimento e de encontro comigo mesma.”

Embora estivesse satisfeita com a escolha, em março deste ano, quando recebeu um convite para assumir o posto de diretora de pessoas na HostGator, multinacional de hospedagem de sites, ela não conseguiu recusar. “Um dos meus desejos era estar mais perto da praia, e a sede da HostGator, em Florianópolis, é vizinha ao mar. Fora que também conseguiria ficar próxima da minha família em Curitiba. Foi o casamento perfeito.”

O DESAFIO

O que Giulianna não esperava era que fosse iniciar na HostGator em plena pandemia da covid-19. “O dia da minha mudança de cidade coincidiu com o período em que começaram as primeiras medidas de isolamento social. Como resultado, as caixas com as minhas coisas não chegaram, e a empresa enviou até um frigobar para me ajudar.”

Ao mesmo tempo em que se acomodava na nova cadeira e no novo endereço, Giulianna tinha a missão de colocar 100% do time em home office e estruturar a prática. “Fizemos uma força-tarefa, que contou com bastante colaboração, e em uma semana todos os funcionários estavam em teletrabalho.” Ironicamente, um dos objetivos da executiva à frente da gestão de pessoas da empresa era aumentar a proximidade entre as áreas, um desafio duplo diante do isolamento.

Por isso, além de agendar reuniões individuais com os funcionários e conhecer 70% do time, mesmo à distância, uma das primeiras iniciativas de Giulianna foi o lançamento de um programa de bem-estar. Entre as ações, a HostGator passou a auxiliar os times com despesas de luz e internet e contratou dois psicólogos para atender empregados que estivessem necessitando de apoio. Nesse meio tempo, aproximadamente dez funcionários da empresa ainda foram afetados pelo ciclone bomba que atingiu a Região Sul do país.

“Além de entregar novos equipamentos, levamos água e auxiliamos até com mão de obra para consertar paredes e telhados destruídos”, diz. “Com essas ações, pude perceber que a HostGator, de fato, se preocupa com as pessoas e tem um estilo de trabalhar diferente. O que dá confiança de ter feito a escolha correta em voltar para o escritório.”

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de VOCÊ RH? É só clicar aqui para ser nosso assinante.

Continua após a publicidade

Publicidade