Assine VOCÊ RH por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como se livrar do lixo emocional do trabalho

Segundo a autora do livro Inovação Emocional, sentimentos não processados ou inconscientes têm potencial para interferir nas relações pessoais e de trabalho

Por Letícia Furlan
Atualizado em 19 jan 2023, 10h15 - Publicado em 15 jan 2022, 07h38

 

T

odo sentimento não processado ou inconsciente é chamado de “lixo emocional” por Heloísa Capelas, especialista em inteligência comportamental, em seu livro Inovação Emocional (Editora Gente). Essas emoções não digeridas acabam interferindo nas relações pessoais e de trabalho, gerando um peso muitas vezes difícil de carregar. E não é incomum que o ambiente corporativo seja motivo de angústia, medo, raiva e outros sentimentos que costumam ser carregados noite adentro ou nos finais de semana, prejudicando a qualidade de vida e a saúde.

“Nesse círculo vicioso, estamos o tempo todo engajados com a dor, a tristeza, a mágoa e tantas outras emoções negativas que contaminam nossas vidas e a forma como nos posicionamos no mundo”, afirma. “A inovação emocional é o processo pelo qual rompemos com tudo isso.” A seguir, ela explica como reciclar esse lixo:

Perceba-se

Segundo a autora, a autopercepção é o primeiro passo para quem deseja alcançar o autoconhecimento — que deve ser uma prática constante, diária, e que requer, antes de mais nada, o desejo de olhar para si profundamente.

“Esteja aberto para ouvir, sentir e identificar as respostas. Vale lembrar que o foco é sempre você, e não o outro. Questione-se e, para não se perder, seja específico. Pergunte a si mesmo o que está sentindo em relação a algo ou a alguém”, orienta Heloísa.

Algumas perguntas podem ajudar nesse processo. Por exemplo:

  • Como você expõe seus pensamentos?
  • Como expressa sua raiva, alegria ou medo?
  • De que forma você disputa ou compete com as pessoas?

Investigue comportamentos negativos

    É importante tentar entender de onde surgiram os comportamentos negativos. Com quem os aprendeu? Em que momentos os usa? São exemplos de reflexões importantes e que, ao final, levam a respostas fundamentais para que você se torne capaz de modificá-los por meio da ação.

    Continua após a publicidade

    Coloque em prática

    É preciso praticar e buscar uma atitude diferente dos padrões e comportamentos que costumam ser seguidos e que não trazem benefício algum.

    “Costumo dizer: ‘Vá com medo e tudo. O que pode acontecer de pior? O que o olhar para si mesmo pode trazer de tão revelador ou perturbador que você faz tanta força para esconder?’ Eu posso garantir que não há nada a seu respeito tão horroroso assim; e, mesmo se houvesse, se você nunca olhar para si, nunca poderá mudar essa realidade”, diz Heloísa.

    Inove emocionalmente

    Segundo Heloísa, inovar emocionalmente permite não só enxergar suas próprias emoções como também aquilo que as originou. “Identificamos a maneira como reagimos a essas emoções, aceitando que, por vezes, teremos tido uma reação impulsiva e negativa; e, enfim, rompemos com as respostas infantis, assumindo a responsabilidade pela forma como vamos lidar com tudo aquilo que nos acontece”, afirma.

    Compartilhe essa matéria via:
    Publicidade

    Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

    Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

    As empresas estão mudando. O tempo todo.

    Acompanhe por VOCÊ RH.

    MELHOR
    OFERTA

    Digital Completo
    Digital Completo

    Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

    a partir de R$ 2,00/semana*

    ou

    Impressa + Digital
    Impressa + Digital

    Receba Você RH impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

    a partir de R$ 12,90/mês

    *Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
    *Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

    PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
    Fechar

    Não vá embora sem ler essa matéria!
    Assista um anúncio e leia grátis
    CLIQUE AQUI.