Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Maioria das pessoas relaciona burnout a lideranças ruins, diz estudo

O levantamento ouviu mais de 2.300 pessoas, 53% do gênero feminino e 47% do masculino

Por Redação Atualizado em 17 Maio 2022, 19h00 - Publicado em 18 Maio 2022, 06h56
N

ove em cada dez pessoas relacionam a síndrome de burnout a modelos de liderança que não se preocupam com a sobrecarga de tarefas, segundo pesquisa realizada pela Mindsight, empresa de tecnologia especializada em gestão de pessoas. Quase 90% dos mais de 2.300 entrevistados também afirmam já terem tido um líder que gerou desgaste mental ao exigir muitas demandas. 

O problema também pode surgir quando o RH não oferece suporte às equipes, devido ao despreparo para identificar os sinais de esgotamento mental dos funcionários ou reconhecer os modelos de liderança que comprometem o bem-estar, de acordo com Thaylan Toth, CEO da Mindsight. Entre os principais sinais do transtorno identificados pela pesquisa estão cansaço físico e mental constantes, ansiedade, dificuldade de concentração, baixa autoestima, mudança brusca de humor e irritabilidade em excesso.

O levantamento também indicou que 86% dos entrevistados nunca participaram de ação voltada a cuidados e à conscientização sobre a síndrome de burnout na empresa em que trabalham. E 87% acreditam que a companhia deve disponibilizar acompanhamento psicológico e psiquiátrico para os funcionários. “As novas gerações são naturalmente mais ansiosas do que as anteriores, principalmente com questões relacionadas ao desempenho e ao recebimento de feedbacks de gestores. Novos perfis de pessoas requerem novas formas de geri-las”, afirma Thaylan.

Veja os principais dados apontados na pesquisa:

87% apontam que já sofreram/sofrem com sobrecarga de tarefas repassadas por líderes de equipe;

Continua após a publicidade

43% indicam que o desgaste mental no ambiente de trabalho partiu de um homem; 32%, de mulheres;

86% dos entrevistados disseram que suas empresas nunca realizaram ação voltada a cuidados e à conscientização sobre a Síndrome de Burnout;

90% acham que o afastamento médico deve ser uma medida adotada para tratamento do problema;

Cansaço físico e mental constantes (67%), ansiedade (65%), dificuldade de concentração (51%), baixa autoestima (51%), mudança brusca de humor (45%) e irritabilidade em excesso (45%) são os sintomas mais frequentes percebidos pelos trabalhadores;

67% conhecem colegas que já foram afastados devido ao esgotamento profissional ou outros sintomas relacionados à Síndrome de Burnout;

87% acreditam que a empresa deva disponibilizar acompanhamento psicológico ou psiquiátrico para os funcionários.

Compartilhe essa matéria via:

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de VOCÊ RH? É só clicar aqui para ser nosso assinante.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue no caminho para se tornar uma referência. Assine VC RH e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da VOCÊ RH! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Receba todo bimestre a VOCÊ RH impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VOCÊ RH, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)