Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Ansiedade é principal razão que leva à busca pela terapia online

Levantamento da OrienteMe foi realizado de julho a setembro de 2021, mostrando que o problema é extremamente atual

Por Redação Atualizado em 29 dez 2021, 13h06 - Publicado em 29 dez 2021, 07h00

A ansiedade é a principal razão que faz com que as pessoas busquem terapia online. De acordo com um levantamento com 7.428 pessoas realizado pela OrienteMe, healthtech especializada em saúde corporativa, cerca de 75% dos entrevistados sofrem com o problema – e 52% nunca tinham experimentado o serviço antes.

Atualmente, muitos são os gatilhos para o transtorno, que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), já afetava ao menos 18 milhões de brasileiros em 2020. Os números do levantamento da OrienteMe foram obtidos com base em entrevistas realizadas de julho a setembro de 2021, mostrando que o problema ainda é atual.

“A ansiedade é um tema de grande importância no tratamento psicológico e é, sem dúvida, a questão mais procurada por nossos pacientes. O ano de 2021 fez com que o quadro de ansiedade fosse muito evidenciado, seguido de estresse, autoestima, autoconhecimento e conflitos familiares”, afirma Renata Tavolaro, líder de psicologia da OrienteMe.

Apesar de preocupante, o cenário motivou uma atenção maior à saúde emocional. “As pessoas realmente começaram a entender que ter uma vida saudável vai muito além de problemas físicos, pois os impactos emocionais são incontestáveis e requerem cuidado”, afirma Renata. Na comparação com o primeiro trimestre de 2021, os números da ansiedade seguem praticamente estáveis. De janeiro a março, 47,81% dos respondentes afirmaram sofrer com o problema; de julho a setembro, o índice foi de 48,59%.

A OrienteMe entrevistou pessoas de todas as idades – 41% tinham de 21 e 30 anos; 34%, de 31 a 40 anos; e 15%, de 41 a 50 anos. Cerca de 65% eram do sexo feminino. São Paulo foi o estado que mais contou com respondentes (64%), seguido do Rio de Janeiro (12%) e de Minas Gerais (6%).

Compartilhe essa matéria via:

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo de VOCÊ RH? Clique aqui para se tornar nosso assinante

Continua após a publicidade

Publicidade