Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Precisamos falar sobre ansiedade no home office

Especialista separou oito dicas de como funcionários podem se sentir menos ansiosos no home office

Por Redação Atualizado em 22 nov 2021, 13h51 - Publicado em 23 nov 2021, 07h00

Com a pandemia de covid-19, o home office se estabeleceu como um modelo que veio para ficar. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 11% dos trabalhadores passaram a exercer suas atividades de forma remota. Mas, mesmo após quase dois anos atuando nessa configuração, algumas pessoas ainda sofrem com os efeitos do isolamento do ambiente corporativo.

Por isso, é importante que se estabeleça uma boa relação entre líderes e liderados, com os gestores atentos a sinais de estresse, apatia e desânimo no grupo. Nesse momento, estabelecer estratégias para diminuir a ansiedade dos funcionários é fundamental. “Precisamos expandir nosso olhar para além da ergonomia, abrangendo também a saúde ocupacional e o bem-estar emocional da equipe, oferecendo acolhimento e escuta adequada”, afirma Luciana Ribeiro, médica especializada em direito do trabalho e gerente de crescimento do Grupo 3778, empresa de gestão integrada de saúde corporativa baseada em dados.

Luciana cita possíveis sinais que podem indicar desgaste mental dos trabalhadores, como evitar a todo custo ligar a câmera nas reuniões, não interagir com a equipe, manifestar um discurso de tristeza constante ou apresentar queda extrema na produtividade. Segundo a especialistas, estas oito práticas podem ajudar a diminuir a ansiedade no home office:

Manter uma rotina

Respeitar os horários de acordar, comer e dormir é uma das práticas mais eficientes para domar a ansiedade. É que deixar o sono e as refeições para “quando der” desregula o metabolismo e o relógio biológico, o que pode levar ao esgotamento físico e mental.

Organizar o espaço

Trabalhar em um ambiente iluminado, silencioso e organizado, sempre que possível, pode melhorar a concentração.

Continua após a publicidade

Ter um tempo para si

As pausas são importantes. “Levantar-se, dar uma volta, se alongar, beber água. Esses momentos ajudam a manter a produtividade sem sobrecarga”, afirma Luciana.

Listar as prioridades

Anotar as principais entregas do dia por ordem de prioridade é outra boa estratégia. Ou elencar as mais importantes, que não podem atrasar ou ser passadas para outro dia – e resolvê-las o mais breve possível.

Limitar a jornada

É fundamental estabelecer um horário para começar e para finalizar a rotina profissional, como se o trabalho fosse realizado no escritório.

Dialogar com a gestão

Quando existem incômodos, uma conversa do funcionário com o líder pode ser a solução. Estabelecer uma relação de transparência é crucial para manter uma boa comunicação com os gestores.

Aproximar-se da equipe

Mesmo fisicamente distantes, as equipes devem encontrar formas de interagir, independentemente da atuação dos gestores. Afinal, muitas vezes, os colegas compartilham das mesmas dificuldades, e podem se ajudar.

Pedir ajuda

Caso o sentimento de ansiedade não seja amenizado, a saída é recorrer ao auxílio de profissionais especializados. A terapia on-line, por exemplo, já é um benefício oferecido em muitas companhias.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo de VOCÊ RH? Clique aqui para se tornar nosso assinante.

Continua após a publicidade

Publicidade