Assine VOCÊ RH por R$2,00/semana
Imagem Blog

Rafael Souto

É CEO e fundador da Produtive Carreira e Conexões com o Mercado, consultoria de gestão, recolocação e transição de carreira, membro do conselho da AMCHAM e ministra palestras sobre carreira e liderança
Continua após publicidade

O poder dos dados para aumentar a influência do RH

Trocar a carga emocional dos discursos e investir no embasamento teórico, usando ferramentas de people analytics, pode virar o jogo – e ajudar o setor a alcançar seus objetivos.

Por Rafael Souto, colunista da Você RH
6 jun 2024, 19h42

A maioria das empresas emprega o discurso de que “as pessoas são o ativo mais importante”. Mas nem sempre a teoria combina com a prática: o RH precisa brigar por um lugar à mesa e provar que é fundamental na estratégia das companhias.

A importância dos talentos para o desempenho de uma companhia é irrefutável. O desafio está, porta​​nto, em usar uma linguagem eficiente ao se comunicar com CEO, CFO e cia. Em recorrer a números que comprovam hipóteses e reforçam argumentos, sem perder as pessoas de vista.

Nessa toada, o people analytics pode ser um bom aliado. Recentemente, o tema se destacou, inclusive, em um relatório do Fórum Econômico Mundial sobre o futuro do trabalho. A pesquisa revelou: 75% das empresas estão implementando ferramentas de inteligência artificial em seus negócios, inclusive de people analytics.

Mais do que auxiliar no recrutamento e seleção, tais ferramentas são capazes de prever o futuro de uma empresa. Ou quase isso. Pode-se a​​nalisar o impacto que determinada decisão terá em uma equipe – e, assim, recalcular a rota.

Continua após a publicidade

O tur​​nover, por exemplo, é um bom objeto de estudo. Ao analisar as características e o histórico dos colaboradores que deixaram uma empresa nos últimos a​​nos, as ferramentas de people analytics conseguem identificar quem tem mais chance de se demitir. Dado o alerta, o RH tem mais tempo para agir e evitar os desligamentos de quem vale a pena manter por perto.

Além disso, o dashboard dessas ferramentas é uma atração à parte. Trata-se de uma fábrica de dados, que possibilita dezenas de arranjos – e, claro, gráficos e planilhas são um prato cheio nas reuniões com a diretoria.

Algumas empresas já usam a estratégia para influenciar diretamente o negócio. Uma companhia de bens de consumo, por exemplo, criou um algoritmo para analisar o desempenho dos indivíduos e elaborar programas de treinamento específicos para os principais pontos de melhoria. O objetivo era melhorar a produtividade, e isso aconteceu: as vendas cresceram, o que obviamente agradou o conselho.

A questão é: os números e a tecnologia já existem. Então, como usá-los para aumentar a influência do RH? Adaptando a comunicação à realidade do negócio. Substituindo a carga emocional do discurso pelo pragmatismo. Isso não quer dizer que devemos nos despir dos sentimentos, mas rearranjá-los.

Continua após a publicidade

Vamos a um exemplo. A maneira clássica de comunicar a insatisfação dos colaboradores com o plano de saúde seria: “Muitos funcionários estão descontentes, o que parece afetar o engajamento geral. Precisamos levar esses sentimentos a sério e mudar nossa oferta”. Ao se apoiar nos dados, essa queixa se transforma. “Dados recentes da nossa pesquisa interna mostram uma taxa de insatisfação dos funcionários de 42% com o pacote de benefícios atual, um aumento de 20% em relação ao ano passado. Essa insatisfação está nos custando R$ 12 milhões por ano por conta da redução no engajamento e dos desligamentos.”

Na prática, a reclamação é a mesma. Mas qual das formas te convence mais? Abordar uma comunicação mais analítica e menos emocional pode ser a chave para o RH ser compreendido.

Marcos Murphy, autor do livro “Nunca Diga Estas Palavras em uma Entrevista de Emprego”, ainda defende eliminar termos como “preocupado”, “estressado”e “infeliz” das reclamações, e substituí-los por dados que respaldam as preocupações ou os resultados da área. A ideia, em suma, é que os dados sejam aliados em prol de uma comunicação mais intuitiva e direta – que ajudará o RH a alcançar os resultados que deseja.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Você RH impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.