Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

“Não existe empresa dos sonhos se aquele sonho não é o seu”

Bruno Szarf, diretor executivo de recursos humanos da Cruzeiro do Sul, diz que a empresa busca pessoas que queiram trajetórias longas

Por Nataly Pugliesi 17 jan 2022, 10h08
P

or ser uma empresa de educação, a Cruzeiro do Sul Educacional preza por um relacionamento de longo prazo com seus quase 8.000 funcionários. Tanto que cerca de 300 têm mais de 20 anos de companhia, e um dos diretores de escola está no grupo há 40 anos. E, quando se olha para o quadro todo, os indicadores continuam expressivos: 40% têm mais de seis anos de casa. O segredo? “Buscamos pessoas que queiram trajetórias longas e que escolham vir para cá pelo propósito de transformar a sociedade por meio da educação. Não competimos com empresas que se vendem como as melhores”, diz Bruno Szarf, diretor executivo de recursos humanos da Cruzeiro do Sul.  “Nossos profissionais não andarão de patinete na Faria Lima, mas enquanto estiverem conosco terão bolsas de estudos. E queremos aqueles para os quais isso faça sentido.”

Na contramão do que o mercado vem pregando em relação ao teletrabalho, para eles isso ainda está longe de ser realidade, e os novos talentos, que já questionam essa possibilidade, recebem a negativa logo de início. Um ponto importante para que o recrutamento dê certo é ter um time de seleção interno que conhece profundamente as questões da instituição. “São pessoas que vivem nosso dia a dia, então colocam na mesa a realidade e os desafios. Além disso, elas têm um alinhamento de perfil muito claro e conseguem identificar quem tem o nosso jeito”, afirma o diretor.

Para Bruno, que já passou por companhias de renome e que carregam a marca de “melhores para trabalhar”, não há nenhuma companhia perfeita. “Dá certo quando o ideal da empresa e o da pessoa se encontram em algum lugar do espaço e do tempo. O meu momento de vida tem que estar alinhado ao que a organização oferece. Não existe empresa dos sonhos se aquele sonho não é o seu.”

Compartilhe essa matéria via:

Este trecho faz parte da edição 76 da VOCÊ RH (outubro/novembro).

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue no caminho para se tornar uma referência. Assine VC RH e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da VOCÊ RH! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Receba todo bimestre a VOCÊ RH impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VOCÊ RH, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

App VOCÊ RH para celular e tablet, atualizado mensalmente

a partir de R$ 12,90/mês