Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Dasa aposta na liderança positiva para enfrentar o pós-pandemia

Rede de saúde implementou um programa de treinamento codesenvolvido pelo criador do curso mais popular de Harvard

Por Letícia Furlan Atualizado em 5 nov 2021, 12h00 - Publicado em 9 nov 2021, 07h00

A pandemia de covid-19 impôs desafios a funcionários de todos os níveis hierárquicos nas empresas, o que inclui os líderes. Pensando nisso, a rede de saúde integrada Dasa selecionou 34 executivos para participar do programa de liderança positiva Potentialife, trazido ao Brasil pela consultoria Reconnect – Happiness At Work, especializada em felicidade corporativa.

Durante as aulas, que começaram em agosto e seguem até novembro, os profissionais se desenvolvem em cinco quesitos: pontos fortes, saúde, engajamento, relacionamentos e propósito, que formam o acrônimo Sharp (strengths, health, absorption, relationships e purpose, em inglês).

Os criadores do programa são Tal Ben-Shahar, autor do curso mais popular da Universidade Harvard, sobre felicidade, e Angus Ridgway, que foi responsável global pelo desenvolvimento de líderes na consultoria McKinsey por mais de 20 anos.

Os desafios

A área da saúde foi uma das mais impactadas pelo cenário desafiador da pandemia. “Aos líderes, coube o papel de cuidar de suas equipes e acelerar suas entregas para que pudéssemos implementar tudo o que precisava ser feito”, afirma Marcelo Mearim Luiz, diretor de negócios da Dasa. “Cada um deles precisa saber como usar seus pontos fortes e paixões para alcançar o melhor de si.”

Outros desafios dos gestores são formar equipes com talentos diversos e complementares e criar um ambiente positivo de trabalho, além de aprender a se autogerenciar, cuidando, inclusive, de sua saúde.

Continua após a publicidade

“Quando esses princípios são implantados em escala, as organizações se beneficiam por ter uma liderança que foca tanto em si mesma quanto em propagar esse conhecimento para os demais”, diz Marcelo.

Resultados

Para os líderes, os principais resultados esperados são a criação de hábitos mais saudáveis que ajudem na administração do dia a dia, no equilíbrio entre vida pessoal e profissional e na uniformidade da gestão das equipes, com mais atenção à segurança psicológica dos profissionais. A integração entre os líderes e a abertura para que não só as boas práticas, mas também as falhas, sejam compartilhadas são incentivadas no curso.

“Em uma cultura positiva, líderes mais preparados geram um melhor ambiente de trabalho, e isso aumenta o engajamento e melhora o desempenho dos times”, afirma Marcelo, que já observa avanços. “Alguns participantes começaram a fazer caminhadas ou outro tipo de exercício físico, e se sentiram mais motivados a realizar suas atividades rotineiras”, diz. “Outros adicionaram intervalos de 15 minutos entre reuniões e também já relataram melhoras.”

O programa

Com duração de três meses, o Potentialife auxilia líderes no desenvolvimento do autoconhecimento e na promoção de uma cultura mais positiva.

Na Dasa, o programa foi iniciado em agosto com uma apresentação de Angus Ridgway, que propôs aos participantes que começassem a completar um “life map”, ferramenta que mapeia hábitos relacionados a engajamento, significado e relações positivas. Desde então, as aulas semanais on-line trazem novos conceitos e ferramentas apresentados por Angus e Tal Ben-Shahar.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo de VOCÊ RH? Clique aqui para se tornar nosso assinante.

Continua após a publicidade

Publicidade