Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Programa de trainee para público feminino bate recorde de inscrições

Para aumentar o número de mulheres na alta liderança, a lojas Marisa criou um programa de trainee exclusivo para quem se identifica com o gênero feminino

Por Letícia Furlan Atualizado em 31 mar 2022, 13h35 - Publicado em 1 abr 2022, 06h21
Q

uando o assunto são mulheres em cargos de gestão, a varejista Marisa já tem números consistentes: 50% das cadeiras do Conselho Administrativo e 76% das posições de liderança são ocupadas por elas. Falta agora fortalecer ainda mais a presença feminina na alta gestão, em que as profissionais representam 42%. A meta é chegar a 50%. “Se nosso propósito é fortalecer a autoestima das mulheres consumidoras, nosso papel como empresa é ajudá-las a ascender mais rápido a altos cargos de liderança”, diz Erika Petri, diretora de gestão de pessoas e sustentabilidade da companhia.

A solução

Para atingir esse objetivo, a equipe de recursos humanos estruturou, no início de outubro de 2021, um programa de trainee exclusivo para pessoas que se identificam com o gênero feminino. Além de contar com o auxílio de consultoria externa de diversidade e inclusão, o RH recrutou as trainees contratadas no programa de 2020, que participaram de todo o processo, desde as dinâmicas em grupo até as entrevistas.

Na última edição regular, quando as inscrições contemplaram todos os públicos, 9 mil candidatos participaram. Na versão feminina, o número chegou perto de 12 mil. E não houve limite de idade: pessoas de 19 a 60 anos registraram interesse. Além disso, a empresa não exigiu conhecimentos em inglês nem experiência anterior, e permitiu que interessadas de qualquer curso se inscrevessem.

Continua após a publicidade

Os pré-requisitos eram a conclusão de bacharelado ou licenciatura entre 2019 e dezembro de 2021 e a disponibilidade para viajar. “Se a gente quer de fato fazer um programa de inclusão, tem que olhar para todas as pessoas que se identificam como mulheres.

E isso também traz uma diversidade de ideias. Tivemos, inclusive, uma angolana participando do processo”, afirma Erika. “Para realizar as entrevistas, destacamos nossas líderes mulheres. Para a fase final, convidamos algumas conselheiras, porque entendemos que, se a iniciativa era para o público feminino, tínhamos que trazer o olhar das executivas para a validação final.”

Compartilhe essa matéria via:

Este texto faz parte de uma reportagem da edição 79 (abril/maio) de VOCÊ RH.

Clique aqui para se tornar nosso assinante

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue no caminho para se tornar uma referência. Assine VC RH e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VOCÊ RH! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Receba todo bimestre a VOCÊ RH impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VOCÊ RH, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês