Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Isis Borge Diretora da divisão de recrutamento Engenharia, Supply Chain, Marketing e Vendas da Talenses

Doze lições dos atletas de alto desempenho para o mundo corporativo

Executivos e atletas de alto desempenho têm muito em comum. Saiba como se inspirar nos grandes esportistas

Por Isis Borge, colunista de VOCÊ RH 30 jul 2021, 13h51

Eu converso com muitos executivos de sucesso todos os dias. Ao longo desses anos, tenho percebido características em comum entre esses profissionais e os esportistas de alto desempenho. No mundo corporativo, os executivos de alto desempenho se destacam por serem resilientes, persistentes e disciplinados, em níveis acima da média. Também se diferenciam por entregar resultados qualitativos e quantitativos, enquanto inspiram as pessoas ao redor a darem o melhor de si.

No esporte, um atleta não vive só das Olimpíadas, afinal a competição acontece a cada quatro anos. No dia a dia, na disputa para se classificar entre os melhores, todos passam por dias de luta e de glórias em treinos e competições. No mundo dos negócios acontece o mesmo: ao longo da carreira, os profissionais passam por fases, e ao longo dos anos vão se destacando como os melhores cada um com a sua particularidade e especialidade, seja ao abrir capital de empresas, conquistar novos mercados, controlar com maestria as finanças de uma companhia, conduzir projetos que aumentem o valor da empresa, inovar com soluções fora da caixa, ampliar portfólios, fazer turnarounds, ou recuperar empresas.

Nessas e em outras rotinas de uma organização é possível reconhecer quem são os executivos que mais se destacam para cada missão, assim como acontece com os atletas. Colocar o executivo certo à frente de uma empresa ou equipe pode redirecionar os negócios, resultando em sucesso para a organização. Aos olhos de pessoas leigas, triunfos podem parecer quase um dom. Mas, por trás de todo sucesso consistente, existe muito trabalho duro e a humildade de estar sempre em busca de aprender e se aprimorar mais, além da habilidade de tratar as pessoas bem, de forma que elas se sintam importantes.

Quando eu acompanho um executivo no fechamento de um grande negócio, não consigo deixar de notar que a forma como ele executa os processos agrega valor de forma única e isso tem muito a ver com a disciplina de um atleta. E como meu trabalho diário é mapear e entrevistar talentos, compartilho com vocês 12 pontos que chamam a minha atenção nessa rotina de seleções de profissionais de destaque:

1. Hábitos saudáveis

Os atletas buscam hábitos extremamente saudáveis, inclusive na alimentação e na rotina de ter momentos de descanso e de sono. Da mesma forma, eu vejo que pessoas de alto desempenho nas empresas não vivem 24 horas em função da companhia. Em geral, elas têm – obviamente – momentos de muita intensidade de trabalho na agenda, mas também têm horários determinados para pausas e a disciplina de parar de trabalhar a partir de uma determinada hora para ter tempo para si mesmo, para a família e amigos. E, nessa rotina mais regrada, os que se alimentam de maneira saudável e dormem bem, costumam estar mais dispostos no dia a dia.

  • 2. Metas claramente definidas

    A meta do atleta está muito bem definida desde o início. No mundo corporativo, lideranças que falam de forma clara quais metas são esperadas de suas equipes costumam ter mais sucesso em alcançá-las. E é interessante observar nas entrevistas com candidatos que nem sempre eles têm clareza do que as organizações esperam deles no dia a dia.

    3. Persistência e rotina de treino com muita repetição

    Isso vale para tudo, em todas as profissões. Posso dar o relato do meu dia a dia como headhunter, por exemplo. Quando alguém inicia nessa profissão, costuma ter uma meta de entrevistar pelo menos cinco pessoas por dia, o que resulta em cerca de 100 pessoas por mês. Ao longo dos meses, a tendência é que esse novo recrutador comece a se situar, conhecer melhor o mercado e ter mais capacidade de analisar e comparar perfis. Na área comercial, por exemplo, só se aprende a marcar visitas comerciais na prática após muitas ligações telefônicas. Lembro de um executivo de bastante sucesso contar que ele fazia mil ligações comerciais a cada quatro semanas. Tiger Woods (um dos melhores jogadores de golf dos EUA) diz que ele passou a ter sorte quando passou a treinar dez horas por dia.

    4. Disciplina

    Tanto no esporte quanto nos negócios, pessoas disciplinadas têm mais chances de se destacar. Faça chuva ou faça sol, um atleta de alto desempenho vai acordar sempre no mesmo horário e treinar pelo tempo que se propôs. Apesar de ser normal vermos as pessoas terem altos e baixos, noto que muitos executivos de sucesso relatam uma rotina bastante metódica e regrada em termos de horários. E a disciplina os ajuda a conseguir cumprir todos os compromissos da agenda, sobrando tempo para lazer e esportes. Uma dica: a maioria deles prefere praticar esportes pela manhã, bem cedo, antes do expediente de fato começar. Com a disciplina, além de mais equilíbrio entre vida pessoal e profissional, também vemos menos procrastinação.

    5. Resiliência

    Tanto atletas de alto desempenho quanto executivos de sucesso são extremamente resilientes. Eles aguentam muita pressão e conseguem entregar resultados mesmo em cenários extremamente adversos. Após ganhar o bronze, a judoca Mayra Aguiar afirmou: “Acho que é a conquista mais importante para mim. Foram difíceis os últimos tempos. Tive medo, angústia. Mas continuei. Dar o nosso melhor vale a pena”.

    6. Feedbacks claros e constantes

    O atleta tem feedback o tempo todo, no cronômetro, no placar do jogo ou por meio do público ou do treinador. Quando as pessoas têm acesso ao feedback no mundo corporativo, elas tendem a se desenvolver mais. Se o feedback for em tempo real será melhor ainda, pois fica muito mais fácil a assimilação do que se está sendo feito de certo ou errado. As chances de evolução aumentam de maneira significativa.

    7. Busca pela superação e excelência

    Atletas buscam o extraordinário, a quebra de recordes. Muitas vezes, eles acreditam que não existem limites inquebráveis. Uma vez, o Usain Bolt disse a seguinte frase: “Sempre há limites. Eu não conheço os meus”. No mundo corporativo sempre é possível competir consigo mesmo em busca de um desempenho melhor, buscar inspiração em outras pessoas ou empresas para se ter uma desenvoltura melhor.

    Continua após a publicidade

    8. A paixão os move no dia a dia

    Os atletas costumam demonstrar entusiasmo a cada passo, desejam se tornar bons no que eles têm paixão de praticar. Será muito difícil encontrar um atleta de destaque que não gosta do esporte que pratica. No mundo corporativo se buscarmos trabalhar em algo que gostamos e em empresas com culturas alinhadas aos nossos valores teremos mais chances de ter sucesso e nos destacar. Lembrando que nunca é tarde para repensar a carreira e mudar o rumo, se for preciso.

    9. Seguem um plano de treino e acompanham a evolução

    Enxergo que no mundo corporativo também devemos seguir um cronograma ou mesmo uma lista de afazeres com planos e métricas bem definidas. E, claro, irmos acompanhando ao longo do tempo a evolução de cada missão cumprida e as necessidades de ajustes no que foi planejado.

    10. Estão constantemente estudando

    Um atleta está sempre estudando sobre si mesmo, os adversários e o que há de melhor para melhorar a própria performance no esporte, além de se manter atento às fontes de inspiração para se tornar melhor a cada dia. Executivos de sucesso também nunca param de estudar. Eles estão sempre dispostos a se aprimorar e aprender coisas novas. No mundo corporativo, estão em alta os conceitos do lifelong learning (o eterno aprendiz) e de upskillig e reskilling, visando um desempenho melhor a cada dia para nos tornarmos melhores no que fazemos.

    11. Comemoram vitórias

    Após cada conquista, os atletas celebram. Por que não celebrarmos as conquistas no mundo corporativo também? Hoje, vejo as empresas mais atentas a isso. Mas não acho que seja algo que depende apenas da organização. Você pode e deve comemorar cada conquista, independentemente do tamanho que ela tenha. Celebrar faz bem!

    12. Cuidam da saúde mental

    O psicológico por trás de atletas de alto desempenho precisa ser muito bem trabalhado. Lembro que uma vez o Gustavo Kuerten (Guga) disse: “Tem uns 14 anos que sinto dores sem parar, um dia atrás do outro.” Isso foi dito quando ele estava no auge de sua carreira. Tem uma outra frase interessante do Usain Bolt na qual ele fala: “Uma coisa essencial que aprendi ao longo dos anos é que a última parte da corrida é a mais importante, porque é quando você começa a melhorar. É quando todo o trabalho duro compensa, porque suas pernas não aguentam mais e você precisa forçar seu corpo. É como ultrapassar uma barreira.” Acompanhamos essa semana o caso da ginasta americana tida como um prodígio que desistiu da competição por não estar com uma boa saúde mental. E ao mesmo tempo vemos a Rayssa Leal com apenas treze anos conseguindo conquistar a medalha de prata no skate. Claramente, o psicológico afeta muito o resultado do todo, e é importante cuidarmos sempre da saúde mental.

    Para finalizar, aproveito para compartilhar duas frases marcantes de atletas que fizeram história. Espero que elas te inspirem ao longo das próximas semanas a ser um profissional de alto desempenho:

    “Eu treinei por quatro anos para correr apenas nove segundos. Tem gente que não vê resultados em dois meses e já desiste” – Usain Bolt

    “Entusiasmo é tudo. Deve ser tenso e vibrante como uma corda de violão” – Pelé

    Te desejo uma ótima jornada profissional.

     

    Assinatura de Isis Borge
    VOCÊ RH/Divulgação

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade