Assine VOCÊ RH por R$2,00/semana
Imagem Blog

Diana Gabanyi Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por The School of Life
CEO da The School of Life
Continua após publicidade

Como inspirar pessoas quando sua motivação não está uma maravilha

Liberdade, sentido, desafio, feedback e reconhecimento devem ser estimulados pelo RH. Saiba como fazer isso

Por Diana Gabanyi, colunista de VOCÊ RH
Atualizado em 17 mar 2023, 17h28 - Publicado em 23 jan 2023, 08h28
E

m algumas empresas e escritórios ao redor do mundo, há uma crise de motivação. Algo que todos nós, provavelmente, já pudemos observar. Por exemplo, em uma sessão de brainstorming, um membro-chave da equipe “se desconecta”. Ele até pode ter uma sugestão que pode ser muito interessante, mas não se esforça e deixa passar a oportunidade de melhorar algo em um projeto, no time ou na empresa. Em outro departamento, há uma pessoa que parece estar doente com frequência. Cuidar da própria saúde está dentro dos seus direitos e há sempre uma razão médica válida, mas o líder sabe que, na verdade, um colaborador motivado só deixa de trabalhar por uma indisposição relevante.

Olhamos ao redor e percebemos que metade da equipe navega pelo LinkedIn em busca de um trabalho melhor, enquanto algum colega acaba de mudar para a empresa concorrente. Uma pesquisa da The School of Life, em parceria com a Robert Half, que mede a inteligência emocional e a saúde mental no ambiente de trabalho, mostra que 31% dos liderados ouvidos na composição do estudo sofrem com a falta de motivação no trabalho.

Quando converso com os gestores, as razões para o aumento dessa demanda variam. Noto que manter a equipe motivada tem sido particularmente desafiador para empresas que optaram pelo trabalho 100% presencial porque muitas pessoas gostaram de usufruir da flexibilidade de trabalhar de qualquer lugar. Porém, em companhias que optaram pelo modelo 100% remoto, a desmotivação pode se instalar naqueles que se desconectam da sensação de pertencimento.

Para ajudar a equipe a criar, manter ou recuperar a motivação, sugiro que os RHs estimulem cinco fatores no clima organizacional:

  1. Liberdade – Estudos mostram que pessoas que recebem metas juntamente com permissão para, de maneira responsável, encontrar caminhos e soluções por conta própria, tendem a se sentir mais motivadas, pois se consideram parte do resultado.
  2. Sentido – É muito mais gratificante executar uma ação quando sabemos a razão dela e os impactos positivos que ela gera, quando entendemos o significado do trabalho. Em geral, as pessoas se sentem melhores ao saberem que suas contribuições são importantes e que têm o poder de deixar algo ou alguém melhor do que encontraram. Mas vá além: sempre que possível, lembre o seu time sobre como o trabalho dele realmente impacta o mundo.
  3. Desafio – A maioria das pessoas quer fazer coisas novas em seu trabalho, querem provar para elas mesmas que podem fazer mais e melhor. Nesse sentido, estimule não apenas o progresso individual, mas também o trabalho em equipe. É comprovado que, em grupo, temos a possibilidade que confiar que as habilidades dos outros compensarão nossos pontos de melhoria. É um exercício de empatia, aceitar e celebrar diferenças e se dispor a confiar nas especializações individuais.
  4. Feedback – Sou gestora e sei que alguns diálogos com membros da equipe podem ser bastante desafiadores. Mas, acredite: reuniões de feedback continuam sendo uma importante estratégia para melhorar o dia a dia do negócio e ajudar no desenvolvimento dos membros do time. Essa ação ficará mais fácil se os líderes forem preparados para terem melhores conversas, além de oferecer apoio psicológico, ou seja, disponibilidade, escuta ativa, presença e valorização do outro.
  5. Reconhecimento – As pessoas querem ser reconhecidas por entregarem à empresa o seu tempo, a sua dedicação, o seu esforço, as suas habilidades e os seus conhecimentos. Então, não perca a oportunidade de valorizar os colaboradores que alcançam os resultados solicitados ou desempenham acima da média. Esse reconhecimento pode ser feito formalmente, em uma reunião ou por meio de bônus ou presentes. Porém, independentemente da realidade do seu negócio, não se prive de uma ação simples e barata: diga um sincero “muito obrigada” ao profissional, seja presencialmente ou em um bate–papo virtual.

Sei que motivar alguém enquanto buscamos manter a nossa própria motivação não é uma tarefa fácil, mas essa é uma das atribuições dos líderes e dos profissionais de RH. O processo pode ser comparado à maneira como Michelangelo pensava sobre seu trabalho como escultor. Para ele, as estátuas estavam vivas dentro de cada bloco de mármore. Elas aguardavam apenas a ação do escultor para serem libertadas.

Certa vez, ele disse: “a estátua já está na pedra, meu trabalho é libertá-la”. E é com essa frase em mente que eu sugiro que você comece esse ano de 2023. Seja pensando na própria carreira ou na oportunidade de ajudar alguém a se tornar a melhor versão de si mesmo. Desejo um ótimo ano para todos nós.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

As empresas estão mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VOCÊ RH.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Você RH impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.