Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

A empresa pode divulgar que empregado tem coronavírus?E o sigilo médico?

O nome e o setor em que o funcionário trabalha podem ser revelados? Confira como a empresa deve proceder, segundo advogados trabalhistas

Por Camila Pati Atualizado em 15 dez 2020, 08h59 - Publicado em 17 mar 2020, 15h22

São Paulo – Em situações normais, o sigilo médico é válido na relação de emprego. Um médico do trabalho não pode revelar informações sobre resultados de exames médicos nos prontuários dos funcionários da empresa. Essa é uma determinação do Conselho Federal de Medicina e está no Código de Ética Médica.

“A empresa deve zelar por esse sigilo”, diz o advogado Marcelo Mascaro Nascimento, sócio do escritório Mascaro Nascimento Advocacia Trabalhista e diretor do Núcleo Mascaro.

Mas, a pandemia de coronavírus é um caso excepcional em que a saúde dos demais funcionários e da comunidade está em risco. Nesse caso, o mesmo Código de Ética Médica especifica que a proibição de divulgação de informações pode ser flexibilizada.

  • Relacionadas

“Nesta hipótese, revela-se adequado que a empresa seja informada sobre a existência de trabalhador portador do vírus”, diz Mascaro. O objetivo dessa divulgação é que o empregado possa ser afastado e tratado. Não há necessidade, no entanto, de identifica-lo internamente para os demais colegas de trabalho, pois isso pode ferir o seu direito constitucional à privacidade e à dignidade.

Continua após a publicidade

Marina Celidonio Ayres, sócia do Filhorini Advogados Associados, sugere que o empregado contaminado seja questionado sobre a possibilidade de divulgação do seu nome. “Inexistindo a concordância, a empresa, a princípio deverá respeitar e realizar as políticas de prevenção de forma a também não expor os demais empregados”, diz. Citar nomes sem o consentimento do funcionário só se aplicaria se fosse crucial para o bem comum. “O que em poucos casos se aplicaria”, diz Marina.

Por ser necessário o isolamento de pessoas com suspeita de coronavírus, o ideal, segundo a advogada, é divulgar apenas em qual setor da empresa foi detectado resultado positivo para Covid 19. “Identificando-se sempre o menos possível as pessoas objeto de isolamento ou contágio”, diz.

O empregador pode determinar o isolamento do funcionário que tiver com suspeita de coronavírus, mas não pode obrigar ninguém a fazer o exame para detectar a presença de Covid-19.

Em caso de isolamento, o funcionário deve continuar recebendo salário sem nenhum desconto. Os advogados trabalhistas do escritório FAS sugerem que a situação seja avaliada de perto, em conjunto com o médico do trabalho, a fim de averiguar a depender do tempo de isolamento, se o afastamento será feito pelo INSS.

São Paulo decreta estado de emergência

Todos os eventos privados que dependem de alvará da prefeitura estão suspensos. Confira a lista de todas as medidas tomadas :

Cidade de São Paulo está em emergência. O que isso significa

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue no caminho para se tornar uma referência. Assine VC RH e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VOCÊ RH! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VOCÊ RH, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Pautas fundamentais para as lideranças de RH.

Cobertura de cursos e vagas para desenvolvimento pessoal e profissional.

Receba todo bimestre a VOCÊ RH impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VOCÊ RH, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês